10 de dezembro de 2015

Black Mirror: a ausência da dependência por um dia.

Segunda e terça (dias 7 e 8) acompanhei um seriado da Netflix que me fez refletir bastante, além de me ter feito um pouco mal, diante das realidades dos episódios assistidos. A série fala sobre a conexão entre o ser humano e a tecnologia, onde o "espelho preto" é aquele o qual se encontra no nosso dia-a-dia: a TV, o monitor e principalmente o smartphone. Em cada um dos sete episódios da série encontra-se a dependência tecnológica que estamos criando, cada vez mais distante da nossa vida real. A maioria dos episódios mostra uma realidade futura, com uma tecnologia que pode vir a existir ou quem sabe já está sendo estudada. A série é sombria e perturbadora, que mexe com a mente até os últimos segundos que, mesmo fazendo mal, a vontade é de assistir mais e mais e entender qual universo se vive atualmente. 
Então, a partir do que assisti, resolvi passar exatamente um dia sem os espelhos pretos que tanto "aprisiona". A minha regra era não olhar ou não me fixar em nenhum espelho preto, exceto no trabalho em que o uso é imprescindível. Diante deste dia sem essas tecnologias, eu fiz e aprendi algumas coisas. Fiz coisas que não fazia há muito tempo, como: fazer minhas sobrancelhas e minhas unhas, meditar, ler um livro, entre coisas necessárias de se fazer em casa, como lavar prato, cozinhar, varrer, arrumar quarto, geladeira, cozinha, enfim, deixar as coisas em ordem, coisa que eu não costumava fazer com muita frequência quando estou utilizando os espelhos pretos. 
E o que aprendi foi o seguinte: o tempo não passa depressa, somos nós que fazemos um mau uso dele. Andar de cabeça erguida é mais sensato e racional, pois se encontra um mundo diferente do que se está acostumado a contemplar. Confesso que durante o dia tive algumas vontades de usar os aparelhos, mas resisti e resolvi ir até o fim. Para não correr o risco, meu smartphone ficou em casa, dentro de uma gaveta. 
O quão estamos dependentes a chegar a tal ponto? Em suma, este foi um dia de uma experiência inusual, que me trouxe aprendizados que preciso levar adiante. Minha sugestão é: assista a série, reflita e faça o teste por um dia. É uma experiência inusitada e única. 

Um comentário:

  1. Fiquei com vontade de assistir. Mas aí estaria fazendo uso da tela preta, né?

    ResponderExcluir

Me incentive um pouco mais.