12 de abril de 2014

Sou alguém eu.


Converso comigo. 
Sou meu melhor amigo.
Às vezes, o pior inimigo. 
Histórias surgem e eu conto. 
E de tanto, me sinto tonto.
Não tenho tempo para pensar. 
Nem refletir e raciocinar. 
Os pensamentos chegam sem hora. 
Invadem, ocupam o espaço sem demora.
Numa guerra em busca de território. 
Entram em colisão de modo notório.
E me perco interiormente.
Na consciência exatamente. 

Eu estou aqui dentro e não sou eu fora de mim.