30 de novembro de 2012

Descobri!

Descobri, é fato. Eu ainda não te esqueci por que eu não quero. Se eu quisesse, já teria esquecido há muito mais tempo do que carrego esse sentimento. Sinto que gosto de prender esse sentimento, de me prender a ele por todo esse tempo. Tenho medo de deixar de senti-lo e não ter mais pelo que sofrer, não ter mais em quem pensar, não ter mais nada de amor que sobre dentro de mim. Quando o sentimento acaba, o sofrimento vai junto e tudo se torna mais leve. A mente, o coração... Tenho esses dois pesadíssimos e gosto de carregá-los. É verdade que dói, dói muito ter que levar tudo isso a todo canto que vou, mas eu sinto essa necessidade de ter algo dentro de mim que brilhe, um brilho opaco. Não tenho explicação para isso, apenas acredito que seja uma loucura minha. É, só pode ser mesmo coisa de louco. Ninguém consegue viver assim, nem conviver com isso todos os dias, sabendo que é insano, sabendo que não vale mais nada. Mas eu vivo assim, vivo assim por que eu sou forte, sempre fui forte, sempre segurei meus sentimentos, sempre me reergui diante das difíceis circunstâncias em que me deparei. E porque não conseguirei agora? Como eu disse, eu só tenho medo desse sentimento ir embora e não ter mais nada dentro de mim. Nem amor próprio? Apesar de tudo isso, eu tenho sim amor próprio, mas carrego amor alheio, amor alheio vazio, amor alheio vazio antigo sem troca, mesmo assim amor. Sei que um dia vou rir de mim e do que guardei, mas até lá, estarei guardando e guardando e guardando. Qualquer dia eu perco de vista, não lembrarei onde guardei, esquecerei. Mas hoje eu vou carregar, desde abrir os olhos pela manhã e fechar  à noite. 


Muito sentimento e nenhum desapego fazem de Laura uma menina idiota (parafraseado The Shining).

14 comentários:

  1. O amor é como a roseira, sem água ela não dá belas flores! abraços

    ResponderExcluir
  2. Laurinha que texto é esse?
    Descobri que é isto que sinto. que sinto a necessidade de sofrer carregando um sentimento que sei que não é bom pra mim, mas não sei como serei quando decidir desapegar dele e tenho medo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Eu amei o texto.Me identifiquei.Tipo,há algum tempo atrás eu senti a mesma coisa por esse cara que gostei loucamente durante (looooongos) seis anos.É estranho descrever esse sentimento...mas é como se fosse um pouquinho dele no seu coração e esse pouquinho valesse a pena,né?Eu entendo :)
    Mas um dia alguém vai te tocar e afastar todas essas lembranças.Isso aconteceu comigo!



    Beeijos =)

    ResponderExcluir
  4. Descreveu perfeitamente meu estado de espírito neste momento de minha mera existência...

    ResponderExcluir
  5. às vezes, a gente só tem que deixar as coisas irem embora...
    mas,eu entendo esse seu sentimento.
    ~b l o g~ • • • FanpageTwitterGoogle+

    ResponderExcluir
  6. Eu penso que a vida seja exatamente isso. Uma Disposição.
    O que você quer sentir, o que ou quem você está disposto a carregar na sua trajetória. Constantemente escolhemos coisas, pessoas, lugares, comidas, mas tudo depende da nossa vontade, do que pinta dentro da gente quando surgem as opções.

    *Não me disponho a carregar esperanças, mas não consigo me desfazer de afetos.*


    Beijos Laura.

    ResponderExcluir
  7. Esse seu texto lembrou um meu que, se não me engano, foi o ultimo do meu, o "Desculpe-me, mas eu ainda te amo". Eu te entendo totalmente, o medo de se desgarrar desse sentimento, de achar que tá ruim sem ele mas é pior sem ele.
    Sabe, o principal passo você já deu, que é o de reconhecer o que está fazendo. Nessa vida vale de tudo, desde que estejamos cientes do que fazemos.
    Quanto ao seu comentário lá no blog flor, que bom que gostou da seleção. De fato o amor é uma fonte de inspiração incrível, parece que não acaba os assuntos. Que bom que se encontrou nas minhas linhas.
    Quanto ao meu nome, obrigada! Fico muito feliz com o elogio. *-*

    ResponderExcluir
  8. Essa frase descreve a fase pela qual estou passando agora: "Sei que um dia vou rir de mim e do que guardei, mas até lá, estarei guardando e guardando e guardando. Qualquer dia eu perco de vista, não lembrarei onde guardei, esquecerei. Mas hoje eu vou carregar, desde abrir os olhos pela manhã e fechar à noite."

    ResponderExcluir
  9. "Apesar de tudo isso, eu tenho sim amor próprio, mas carrego amor alheio, amor alheio vazio, amor alheio vazio antigo sem troca, mesmo assim amor." Sempre guardamos o amor alheio... mesmo que isso nem sempre seja uma coisa boa.

    ResponderExcluir
  10. "Tenho medo de deixar de senti-lo e não ter mais pelo que sofrer, não ter mais em quem pensar, não ter mais nada de amor que sobre dentro de mim." - lindo, lindo, lindo!

    ResponderExcluir
  11. Amor alheio.
    Que definição fantástica que criou aqui.
    Eu vivo lendo desabafos mas a verdade que você cravou aqui é grandiosa.

    Simplesmente fantástico. Um prazer.

    ResponderExcluir
  12. Tem gente que é melhor guardada dentro da gente do que longe da memória.

    ResponderExcluir

Me incentive um pouco mais.