21 de agosto de 2012

Quem?

Ele tem medo. Medo.
Medo de mim?
Ele tem medo.
Ele tem moda.
Ele não tem moda.
Ele não se importa.
Ele não se importa com a moda.
Nem com o medo. Ele não se importa com o medo.
Nem comigo, nem contigo, nem com ela ou até com ele mesmo.
Ele não se importa e nem se incomoda.
Ele vem e vai. Mas não volta atrás.
Ele puxa e solta. Ele não se revolta.
Ele fala, mas ele cala.
E cala, cala, cala, mas depois volta a sua fala.
Ele anda, para, anda. E some.
Ele usa, abusa, recusa e me deixa confusa.
Ele não se retrai, muito menos se contrai.
Ele emerge, nunca afunda. Nem num dia de segunda.
Ele ri e faz graça, quando bebe sua cachaça.
Ele desarruma, não se acostuma com a fumaça de sua espuma.
Ele é patético e desdenhoso até num dia chuvoso.
Ele não se cansa de bancar uma criança e sendo adulto, se mostra muito astuto.
Sua verdadeira face está escondida na melodia de um suicida.
Ele não morre, nem se decompõe.
Ele nasce, mas também se põe.

3 comentários:

  1. Quem? Eu também não sei, mas gostei - Adorei as rimas e a musicalidade das suas palavras.

    ResponderExcluir

Me incentive um pouco mais.