16 de junho de 2012

Toda noite.


E toda noite é assim. Tenho tanto medo quando essa hora chega, cheia de mistérios, cheia de encantos e desencantos profundos, cheia de tons, mas ao mesmo tempo ausente de cores, de sensações, de bons pensamentos... E todo fim de noite algo, que não sei o que é, se desperta, como se se escondesse de dia propositalmente e escolhesse o momento mais inoportuno para aparecer. Há um grande buraco, um vazio em tudo, e eu não encontro respostas, não encontro nada que me faça entender o que é essa lacuna que não é preenchida. É um sentimento melancólico, triste e sensível. Não sei ao certo quando apareceu, até por que nem ao menos sei o que significa, do que faz parte, se está relacionado a algo ou a alguém. Só sei de sua existência e ele sempre chega na hora mais reflexiva do dia, onde tudo que está dentro do ser transborda e divaga pelo ar. É um daqueles questionamentos que não existe mesmo resolução, onde todas as interrogações são inúteis, onde nada leva a nada. Mas, quem sabe... Pode ser que em alguma dessas noites escuras, algo finalmente se ilumine e a resposta surja, sem ao menos uma pergunta. E eu vou esperar, toda noite, toda noite, mesmo que se demore, que esse vazio sem nome seja respondido e finalmente preenchido.

11 comentários:

  1. Considere-se com sorte: seu vazio é noturno, não íntegral.

    ResponderExcluir
  2. A noite me dá medo as vezes, porque é quando ela chega e eu deito na cama que minha cabeça viaja de um jeito que até me perco e o sono vai embora. E foi como disseram, sorte sua que pelo menos é noturno. ;)

    ResponderExcluir
  3. Que delícia de texto. A noite, tudo aquilo que dormiu durante o dia, parece que acorda.

    ResponderExcluir
  4. A noite traz à tona alguns monstros :x

    ResponderExcluir
  5. Eu tenho um ótimo remédio pra isso: deito na cama quando o sono já tá me derubando. E então "não há nada a ser esperado", como diria Caio.

    ResponderExcluir
  6. Eu acredito que a maioria das pessoas tenham esse vazio, sabia? E ele se manifesta somente à noite, no silêncio da madrugada, quando os pensamentos ficam fixos no que nos machuca e que durante o dia os nossos afazeres fazem com que esquecemos disso.
    Também busco uma solidão para preencher o meu vazio. Você lembra de mim? Eu visitava seu blog há dois anos, se não me engano. Voltei a visitar os blogs antigos e reencontrei o seu. Volto mais vezes!
    Um beijo, @pequenatiss.

    ResponderExcluir
  7. Todos temos esse vazio. Uma noite, me perguntei: e se formos nós? Esse vazio, quero dizer. E se formos nós?

    ResponderExcluir
  8. Que saudades que tava de vc e de seus pensamentos e linhas escritas únicas bj bj, blog lindo e talentoso como sempre .

    ResponderExcluir
  9. "E eu vou esperar, toda noite, toda noite, mesmo que se demore, que esse vazio sem nome seja respondido e finalmente preenchido." - somos duas então. =]

    ResponderExcluir
  10. Muito bonito, apesar de triste. Não sei a que vazio você se refere, mas eu me senti assim durante inúmeros dias - sentia um buraco, como se por mais que eu tentasse guardar as ternuras que recebia - tudo me vazasse - nada ficasse, perdurasse... Até que então eu descobri que todas as pessoas possuem um vazio que corresponde exatamente ao amor de Deus em presença - e só quando passei a senti-lo mais perto, essa sensação de vazio, me diminiu um pouco.

    ResponderExcluir

Me incentive um pouco mais.