12 de fevereiro de 2012

Conectados.

Ela chegou completamente suada em minha casa. O encontro foi marcado há uns dias atrás e eu estava esperando ansiosamente por esse dia. Eu tinha fome, ainda não havia almoçado. Mas minha fome só ela podia saciar e eu estava certo de que ela já sabia disso. Pediu-me uma toalha para tomar banho; queria ter seu corpo cheiroso para mim. Mas eu bem que a queria daquele jeito, com o corpo todo molhado. Enquanto eu saciava a minha falsa fome, ela tomava banho. Ouvi o barulho do chuveiro e desejei muito estar ali, mas ela preferiu se banhar sozinha naquele momento. Saiu vestida, com a mesma roupa suada que chegou. Pensei que sairia de toalha para me provocar, mas não, estava ela quase totalmente igual quando chegou, só que bem mais provocante, com seus cabelos molhados. Trocamos olhares demorados, ela parecia querer me provocar ainda mais. Sentou em meu colo e beijou minha orelha. Um arrepio correu pelo meu corpo todo. Retribui o gesto e ela se contorcia enquanto se arrepiava. Eu adorava vê-la assim; me excitava rapidamente, me fazia querer tê-la o quanto antes. Mas ela não parecia ter pressa. Então a despi, tirei peça por peça, devagar, como ela queria. E ela fez o mesmo comigo, me despindo todo. Quando estávamos completamente nus, percorri todo o corpo dela, alterando entre toques e beijos. Sua respiração ofegava a cada toque, a cada beijo meu. Me repelia e me puxava ao mesmo tempo, sempre indicando para onde eu deveria ir. Eu não podia mais esperar, não naquele estado de êxtase em que nos encontrávamos. Levei-a nos meus braços e a coloquei em minha cama. Sua expressão facial me fazia um pedido e eu não precisei pensar duas vezes para poder entender. Conectamos-nos, à luz do dia, enquanto o tempo passava lá fora. Nossa pele ardia e o atrito parecia magnético. Mas num determinado momento nossos corpos desfaleceram e repousaram lado a lado. Horas depois eu estava só novamente e um único pensamento vagava em minha mente: Que os dias passem rápido para eu tê-la novamente em minha cama.

19 comentários:

  1. Quanta intensidade então poucas palavras.
    Senti cada arrepio, muito provocante esse texto.
    Eu adorei!
    Beijo.

    ResponderExcluir
  2. Ual... voltou com a corda toda em Laurinha :P

    bjs.

    ResponderExcluir
  3. São coisas que permanecem por entre os dias, a qualquer hora. No pensamento a querer repetir, de novo... Outra vez. Que lindo!

    ResponderExcluir
  4. porque quando é bom, o povo pede bis! hehe

    beijas, bonita! ;*

    ResponderExcluir
  5. É, eu não tenho como usar outra palavra além da que já empregaram: intenso. Intenso, esse texto. Gostei :3

    Beijos,
    Nina!

    ResponderExcluir
  6. Ah, essas pessoas que vem, fazem e vão. Acho isso tão vazio, apesar de toda a animação e tesão do momento, e parece que ele está envovido.

    Well, adorei flor.

    Aproveitando que estou respondendo os coments vou fazer um mini-mershan, tem promoção relampago lá no blog.

    Vai lá. :D

    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. e não é mesmo.. rs

    bjokas meu anjo
    te cuide

    ResponderExcluir
  8. Floor, tem post novo lá no blog. Demora para atualizar aqui não, tá? :P

    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. WOW amei o texto.

    Que o tempo corra para se amarem de novo e sempre, infinitamente!

    ResponderExcluir
  10. Aaaah, eu tô precisando de alguém assim, pra saciar toda essa minha fome! UHSDUHDUH adorei, muito. MESMO.

    ResponderExcluir
  11. Oie, como vai?

    Tem um selinho esperando por vc:

    http://marianapenna.blogspot.com/2012/02/selo-comemorativo-2-anos-do-blog.html

    Bjãooo e bom fds!!

    ResponderExcluir
  12. Nossa... AMEI MUITO esse texto! Sensível, sem deixar de ter, humm, 'pegada'!
    Adorei, meeesmo!

    ResponderExcluir
  13. ADOREI, parabéns o conto ficou ótimo; texto de nos arrepiar rs, intenso e quente.

    ResponderExcluir
  14. Que delícia de se ler, intenso. "Nossa pele ardia e o atrito parecia magnético." Amei essa frase. E que a senhorita sacie cada vez mais a nossa vontade da sua escrita, dona Laura! :)

    Beijos.

    ResponderExcluir
  15. Que conto gostoso de ler. É bem simples mas tão... intenso!
    Gostei muito!

    ResponderExcluir
  16. Quanta safadeza, digo; que delícia de conto.

    "Quando estávamos completamente nus, percorri todo o corpo dela alterando entre toques e beijos"


    Intenso, bem escrito e ousado. Eu amei!

    ResponderExcluir

Me incentive um pouco mais.