9 de outubro de 2011

- Oi, querido! Bom dia!
- Onde você estava a noite passada, mulher?
- Eu estava tomando banho.
- Mentira! Eu te procurei pela casa toda e não te encontrei.
- Querido, não estou mentindo. Eu estava realmente tomando banho.
- Mas o banheiro estava vazio. Não tinha ninguém lá.
- É que eu fui tomar banho no banheiro do nosso vizinho.
- Que vizinho?!
- Fernando, do quarto andar.
- Por que você foi tomar banho lá?
- Querido, eu estava precisando de um banho, mas aqui não tinha água.
- Como assim não tinha água?
- Você não pagou a conta, querido. Cortaram nossa água.
- E por que você foi justamente ao apartamento de Fernando?
- Ah, querido, ele ofereceu o banheiro dele. E ainda mais, não tinha sabonete aqui em casa.
- Você deveria ter saído para comprar.
- E de que adiantaria ter sabonete se não tinha água?
- Você deveria ter me avisado, eu pagaria a conta.
- Mas ia demorar para chegar. E ele foi tão gentil cedendo o banheiro dele.
- Mas você só tomou banho?
- E o que eu mais faria, querido?
- Não sei, ele está sempre olhando para você, acho que ele tem alguma intenção.
- Não, não. Jamais! Ele é muito respeitoso.
- E por que você não voltou depois do banho?
- Querido, você não vai acreditar! Eu estava tomando banho e o sabonete caiu no chão, bem na hora que faltou luz no prédio todo. Gritei por Fernando e ele veio me acudir. Eu não enxergava nada, mas Fernando entrou para me ajudar a procurar o sabonete. Ele tirou a roupa, para que não molhasse, pois o chuveiro estava ligado. Eu me abaixei e por incrível que pareça, achei o sabonete. Só que dei um jeito no meu braço. Eu não conseguia movê-lo e ainda nem tinha terminado o banho. Fernando me ajudou mais uma vez e terminou de me ensaboar. Enxugou meu corpo todo, gota por gota e me levou para cama.
- ELE LHE LEVOU PARA A CAMA?
- Sim, querido, mas calma, ele me levou para a cama para cuidar do meu braço.
- Hm, achei que fosse outra coisa.
- Sim, querido, me deixe terminar. Brincamos de médico. Digo, ele se passou por médico, cuidou do meu braço com tanta delicadeza. Cuidou com tanto carinho de mim, querido, que eu acabei adormecendo. Ele ficou com pena de me acordar, veja só! Me deixou dormir ali, do lado dele. Aí hoje de manhã, me acordei, peguei minha roupa que estava no banheiro e agradeci muito por ele ter feito tudo o que me fez. Está vendo, querido? Fernando não é um homem mau, ele só cuidou de mim, como qualquer outra pessoa faria.
- Desculpe-me por desconfiar de você, meu amor. É que eu cheguei e não vi você, nossa! Fiquei muito desconfiado. Me perdoa, por favor? Eu vou falar com Fernando e agradecer tudo o que ele fez por você.
- Ótimo, querido. É assim que você deve agir. Nada de atritos entre vizinhos.
- Agora vem cá, meu amor, vem me dar um beijinho.
- Ah, querido, estou tão cansada. Meu bracinho ainda dói. Passou a noite todinha assim, acho que vai demorar para sarar. E minhas pernas doem, minha boca dói. Estou toda dolorida. É que dormir em outra cama é tão cansativo... Você entende, não é, querido?
- Entendo sim, meu amor. Vá, vá descansar. Qualquer coisa, é só me chamar, está bem?
- Obrigada, querido. Você é um anjo!


Inspirado em uma encenação.

15 comentários:

  1. Olá, muito, mas muito interessante hein, lindo blog Srta, muita paz , abraços

    ResponderExcluir
  2. Ehehehehe

    Dormir em uma cama diferente é mesmo muito exaustivo, todas aquelas possibilidades a explorar, né? Haja braços, pernas, boca...

    :p

    Adoro pessoas solícitas, adoro!

    Beijocas, flor.

    Amei teu post!

    ResponderExcluir
  3. Laurinha eu ri muito!!!
    Kkkkkkk...
    Parabéns muito engraçado!
    Beijinhos*

    ResponderExcluir
  4. Que coisa, não!?
    Adoro esse teu jeito de contar histórias, Laura!

    Saudades daqui...

    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Genial!!! Adoro teus contos!
    Será que (na vida real) existem maridos tao "calmos" assim? rs
    Aproveito para desejar a voce um Feliz dia das criancas, afinal, todos nós andamos de maos dadas com a crianca que fomos um dia!
    Bjs! Sol-risos :)

    ResponderExcluir
  6. HAUHAUAHAUAHAUAHAU
    Eu ri muito aqui, pura encenação e o Oscar de melhor atriz vai para ... a esposa dele! Cada um na sua, com as suas ilusões né? Me amarrei no texto, mto interessante e muito obrigada pelo carinho e apoio lá no meu blog. Adoro as suas interpretações, volte sempre viu? Enormes beijos

    ResponderExcluir
  7. hahahahahaha...
    Muito bom!
    Que esposa esperta!

    ResponderExcluir
  8. Oi, quero te convidar para conferir a entrevista com a Juliane Bastos: http://iasmincruz.blogspot.com/2011/10/entrevista-com-juliane-bastos.html

    Ótimo fds!

    ResponderExcluir
  9. Magnific ! rs

    Seguindo aqui.
    Quando puder, dá uma passadinha no meu blog?
    Beijocas.

    http://www.blogdaraymara.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Eu também queria um lugar como no meu texto, mas já ouvi dizer que ele vive dentro da gente. Será? Tomara! Obrigada pelo carinho e belas palavras, volte sempre. Enormes beijos :D

    ResponderExcluir
  11. Adorei o texto!! Muito bom, haha. Beijo.

    ResponderExcluir
  12. kkkk', êe lábia que essa mulher tem. xD
    adorei.

    Beijos, da CDC.

    ResponderExcluir
  13. Adorei, me fez rir bastante. Corno cego é fogo, ein? haha

    ResponderExcluir

Me incentive um pouco mais.