16 de agosto de 2011

Anello.

Quando duas pessoas criam um laço, um laço forte, de afetividade, é muito difícil esse laço se desatar. Às vezes acontecem coisas que podem prejudicar um pouco esse laço, mas de alguma forma, ele está ali, firme, com o seu nó indesatável, fazendo de tudo para sobreviver. E ele sobrevive a tudo, não importando o que acontece. Ele se segura em qualquer tipo de abismo, leva chuva, leva sol, sofre, mas não perece. E é assim que acontece até hoje, com Guilherme e Clarisse, que desde pequenos estruturam uma linda amizade. Há quem duvide desta amizade, há quem inveje esta amizade, mas Guilherme e Clarisse preferem não dar a mínima para estas dúvidas e invejas, pois a certeza que vem de dentro deles é bem maior do que os outros acham e pensam por aí.

Compartilhar alegrias e tristezas, ganhos e perdas, dizer a verdade e nunca mentir fazia parte de seu acordo de amizade. O cumprimento desse acordo era feito nem nenhum esforço, a confiança era mantida e o amor, é claro, sempre guardado com muito cuidado. Guilherme gostava dos trejeitos de Clarisse, da forma como ela se comportava, da maneira como ela lhe abraçava. Já Clarisse admirava o sorriso de Guilherme, o modo de como ele enxergava o mundo e os pensamentos que lhe rodeavam.

Acontece que, um dia, o destino resolveu trabalhar na vida de Guilherme. Uma tragédia lhe arrebatou, lhe deixando sem chão. Para ele, a vida não tinha mais sentido, o pranto não cessava e parecia que todo aquele sofrimento ia durar para sempre. Foi como se um pedaço de seu corpo fosse arrancando à força e a dor tomasse conta de todo o ser. Apesar de tudo, existia um ponto de esperança na vida de Guilherme e se chamava Clarisse.

No dia que tudo se finalizou por completo, Guilherme estava abalado, mas que qualquer outra pessoa ao redor e Clarisse não o deixou sozinho nem um minuto. Por mais que Clarisse não soubesse de verdade o que Guilherme estava sentindo, ela sentiu a dor dele. O abraçou fortemente, compartilhando lágrimas, num gesto inédito em sua vida. Ela sofreu com ele, ela sentiu a dor dele como se fosse dela, ela chorou com ele, ela chorou por ele, pela tristeza que afligia o amigo, garantindo que nunca ia deixá-lo só, que o acordo nunca seria cancelado e o laço nunca desatado.


12 comentários:

  1. Gostei da teoria do laço. Tomara que ela se aplique a outros tipos de amores também...tomara.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  2. amizade verdadeirarepresenta um laço tão forte que comove, encanta e surpreende. belo post xD

    ResponderExcluir
  3. Quando o sentimento de verdade ele sempre prevalecerá, independente do que aconteça.

    ResponderExcluir
  4. não sei se eu sinto de mais, ou se é as pessoas que sentem de menos..
    mas sou igual Clarisse, (e não me importa se conheço a pessoa 5 ano ou 5 semanas) se um amigo meu está triste eu fico triste tbm.
    Eu valorizo muito (mesmo) uma amizade (até as virtuais).

    Adorei Xuxu.
    Beijos, CDC.
    http://migre.me/5vw5H

    ResponderExcluir
  5. Nada é maior do que o laçoinfinito de duas mãos.
    Beijo no coração!

    ResponderExcluir
  6. Me diz uma coisa que eu sempre quis saber?
    Onde consegue tanta criatividade pra tantos contos e histórias? Acho incrível isso! Sempre há algo novo por aqui.
    Parabéns mesmo :)

    ResponderExcluir
  7. - Que lindo!
    A intensidade de um sentimento permiti que ele perpetue por mais tempo
    linda
    Bjooos

    ResponderExcluir
  8. Muito tocante, há laços que duram uma vida inteira... Beijinhos!

    ResponderExcluir
  9. QUE LINDO ;-;

    Ai, me tocou tanto que até chorei. Porque essa porcaria de Dor tem estado tão presente em nossas vidas, hein? É assustador o tamanho de sua presença!

    Adorei o conto, Laura. Adorei, adorei! Tá perfeito!

    Beijos, linda!

    ResponderExcluir
  10. Sabe uma coisa que é linda? A amizade. Pena que é raro de encontrar hoje em dia.
    Vejo muitas pessoas sofrendo de amor, mas sempre dizendo que tem os amigos. Eu sou ao contrário, vou muito bem no amor, obrigada. Mas na questão de amizades, ando me decepcionando um pouco.

    Amei o continho, muito lindo. E fiquei curiosa pra saber o que aconteceu com ele. Na minha cabeça, ele perdeu a mãe ou o pai. Tadinho.

    ResponderExcluir
  11. Respondendo o seu comentário sobre a minha intromissão em sua vida particular (mas é só porque eu me preocupo, ta?)... Awwwm, que bom então, Laurinha *-* Fico feliz por você! Mas confesso que sou muito mais seus contos felizes hihi. Beijos, linda!

    ResponderExcluir
  12. Esse teu texto, fez-me lembrar de um que li a bem pouco tempo:
    "Crie laços com as pessoas que te fazem bem, que lhe parecem verdadeiras e desfaça os nós que lhe prendem àquelas que foram significativas na sua vida mas infelizmente, por vontade própria, deixaram de ser.
    Nó aperta, laço enfeita...simples assim."
    Gostei mt da maneira como vc escreve! E do visual vintage de seu blog tb! :)
    Um dia feliz e repleto de coisas agradaveis pra vc!

    Sorrisos! :)

    ResponderExcluir

Me incentive um pouco mais.