14 de julho de 2011

Ele e Ela


Aviso, leitor: o que aqui se encontra é uma linda história de amor, que começou há um tempo. Se está disposto a conhecê-la, tenha uma boa leitura e se encante e concordem comigo, que o amor é inexplicável. Se não está disposto, é uma pena. Vai perder uma leitura que lhe fará bem. A escolha é sua. Cabe a você decidir.





Ninguém podia imaginar que um dia, Ele e Ela poderiam vir a se conhecer. Eles não estavam em mundos distantes, viviam na mesma cidade, mas como uma cidade grande se torna pequena a tanta gente, eles um dia cruzaram o caminho. Não é impossível isso acontecer, pois todos os dias estamos cruzando por aí, pelas ruas, com pessoas desconhecidas e que, se viéssemos a conhecê-las, poderíamos ver o quanto são boas. Mas isso não vem ao caso. O caso é que Ele e Ela, apesar de morarem na mesma cidade, cruzaram-se num mundo virtual, em que não importava onde você estivesse; sempre havia um jeito de cruzar com alguém, qualquer que seja. E foi assim que começou. Ela foi a primeira a manter contato, mas por uma coincidência incrível. Em um bate-papo virtual, Ela viu que Ele estava presente em sua lista. Não se lembrava de ninguém com o nome Ele e decidiu investigar, levada pela curiosidade que sempre brotava em sua mente quando via algo diferente em qualquer lugar. O primeiro contato, de tantos outros que haveriam de vir, mas Ela não imaginava que isso poderia acontecer num mundo virtual como aquele. Para disfarçar sua curiosidade e investigação, Ela comentou com Ele sobre a frase que vinha após o seu nome no bate-papo virtual. E assim nasceram e cresceram as conversas. Ela lhe falava como gostava de doces e abóboras e Ele lhe falava que adorava andar na praia quando estava chovendo. A conversa foi ficando tão prazerosa que Ela havia esquecido de lhe perguntar como havia surgido em sua lista. Mas a aquela altura, isso já não importava mais.

Todos os dias, Ela entrava ansiosa em seu bate-papo, na esperança de encontrá-lo para conversar mais uma vez. Alguns dias teve a inesperada surpresa de não encontrá-lo e quando isso acontecia, o mundo virtual não tinha graça para Ela. Porém, quando o encontrava, a felicidade era tanta, que seu coração pulava ao ver o nome de Ele em sua lista. Passavam horas e horas conversando, e não se importavam quando as horas passavam demais. O dia amanhecia e lá estavam eles, conversando. Ninguém sabe ao certo que tipo de conversa eles tinham, para segurar o papo por tanto tempo, mas isso não tem importância. O que importava mesmo era que os dois sempre mantivessem contato, por mais que em algumas vezes isso não pudesse acontecer.

Decidiram, após um tempo, trocar telefone. Já estava na hora. Ela tinha vergonha de ligar para Ele e vice-versa. Mesmo assim, quando não podiam se falar no mundo virtual, trocavam mensagens de bom dia, boa tarde, boa noite, como você está. Era assim que se viravam, era assim que eles alimentavam a saudade que tinha um do outro, apesar de nunca terem admitido que fosse isso que sentiam.

Depois de muito trocarem mensagens, Ela sentiu uma necessidade de conhecer a voz de Ele, saber se as palavras que saiam de sua boca fariam o mesmo efeito das palavras que saiam de seus dedos. Ligou de um número desconhecido, pois temia que, se Ele percebesse que era Ela que estava ligando, não atendesse a sua chamada. Chamou quatro ou cinco vezes até que Ele atendeu. No primeiro momento, não soube o que dizer ao ouvir sua linda voz do outro lado da linha. Quando Ele falou alô pela segunda vez, Ela disse um oi e perguntou se Ele sabia quem estava falando. Por mais incrível que pareça, Ele disse seu nome e Ela ficou impressionadíssima. Apesar de ter ficado sem graça, gostou muito de Ele ter adivinhado quem era. Ela, com seu jeito curioso de ser, perguntou como Ele tinha adivinhado e Ele respondeu que naquele momento estava pensando nela. O coração de Ela palpitou logo após ouvir as palavras de Ele.

Ao mesmo tempo em que Ela percebeu que já sentia algo por Ele, Ele também percebeu que gostava de Ela. E essa percepção atingiu aos dois com tanta intensidade que a ânsia não era mais conversar no mundo virtual e sim conversar no mundo real, cruzar o caminho e compartilhar do mesmo ar. A necessidade foi tão intensa que decidiram marcar um encontro, num lugar que os dois pudessem ir, num lugar próximo para eles. Escolheram a praia, por ser calma e agradável.

No dia do encontro, eles não estavam agüentando a ansiedade. As horas pareciam não passar, diferentemente das horas que passavam rapidamente quando estavam no mundo virtual. Quando, afinal, chegou a hora, ambos correram para o ponto de encontro. Ela chegou primeiro ao local, por ficar mais próximo de onde morava, por isso teve de esperar um pouco. Devo mencionar aqui que os dois nunca tinham se visto por webcam, fotos e ou outras formas que se pudesse ver. Mas como o coração sabe, quando certo rapaz alto e magro, de óculos apareceu ao longe, colocando desajeitadamente o seu cabelo, que estava para cortar, atrás da orelha, Ela soube naquele momento: era Ele.

A primeira coisa que Ela notou em Ele foi o nariz, afilado, empinado e de tamanho médio. Ela era louca por narizes e ficou admirava por encontrar um nariz perfeito em alguém que gostasse. Ele se aproximou, desajeitado como era, e deu-lhe um abraço. Ela, que era tão pequenina, teve de ser erguer para alcançá-lo. Ele achou fofo o gesto que Ela fez para lhe abraçar, por ser uma garota baixinha.

Foram então caminhando pela praia, conversando, até achar um bom lugar para sentar. Sentaram na areia, há alguns metros do mar e repousaram, observando aquele dia tão bonito, que se tornou cenário de um dia especial. De repente, Ele teve uma ideia: para observar melhor o céu, sugeriu que eles se deitassem na areia. Ela, que nunca havia deitado e geralmente não aceitaria uma coisa dessas, não pensou duas vezes; deitou seu corpo na areia, sem reclamar ou fazer objeções. Assistiram deitados ao espetáculo que o céu lhes reservou. Cores, nuvens, pássaros... era o que viam naquele momento. Em certos instantes, os olhares se desviavam do céu e se cruzavam. Seus corações sentiam uma vibração e batiam sincronicamente aos olhares cruzados. E Ela admirava ainda mais o nariz de Ele. Então, num ímpeto, levantou-se e deu um beijo na ponta de seu nariz e voltou a sua posição. Ele, surpreso por sua atitude, lhe sorriu. Em vez de ser ímpetuoso como Ela, Ele lhe pediu permissão para beijar a ponta de seu nariz. No que Ela permitiu, Ele se aproximou, beijou-lhe a ponta do nariz e a olhou diretamente nos olhos e lhe beijou a boca. O beijo foi suave, doce e bastante delicado. Ela correspondeu ao beijo, tornando aquele instante único e inesquecível, tão inesquecível, que hoje, após três anos, Ela e Ele não esqueceram e continuam eternizando momentos, só seus.

17 comentários:

  1. Gostei muito! Bela historia!
    Comecei a ler e so parei no final ^^
    Bjnhos de Portugal

    ResponderExcluir
  2. Que linda história! *-*
    "Então, num ímpeto, levantou-se e deu um beijo na ponta de seu nariz e voltou a sua posição." adorei está parte.

    ResponderExcluir
  3. Belo texto e seu blog é muito lindo.

    Obrigada pela visita. Volte sempre que quiser. =D
    Beijos.

    http://sonhosesilencio.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. FOFO, FOFO, FOFO.
    amei, essa historia é tão fofa, que eu ficava falando: owhn, que bonitinho ... rsrsrs
    muito bom Laurinha, adoro tmb seus contos romanticos. bjs

    jmsdramaqueen.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Ówn! Que história linda e fofa! Adorei... E não sei porque, acho que é real, e mais, acho que é sua. É mesmo? :P

    Estou de volta! Deu pra ver, né? :P rsrs Depois vou postar no Petit Poá uma explicação para essa minha ausência, mas agora, vou me atualizar nesse blog lindo que me fez falta.

    Beijos flor, saudades!

    ResponderExcluir
  6. História linda e fofa! Valeu a pena mesmo ler. :)

    ResponderExcluir
  7. lindo mesmo moça...=)
    A minha historia com meu namorado foi parecida...rs
    A gente começou a conversar pela internet. ^^

    ResponderExcluir
  8. Own *-* Que coisa mais linda Laura :D
    Será que esta história é baseada em fatos reais, em, em?? :P

    beijões flor.
    p.s. estava louca de saudade de ler suas histórias *o*

    ResponderExcluir
  9. Ainda bem que eu aceitei o desafio de ler essa história. Realmente, aprendi muito com ela. Que lindo ver histórias como essa. O modo como você a escreveu, deixando sempre um ar de mistério à solta também deu todo um charme. Mesmo que eu previa que o final fosse feliz, eu não conseguia imaginar direito o que aconteceria.
    Mas cá entre nós, fiquei extremamente curiosa para saber uma coisa: essa é a sua história? Se for, parabéns, moça!
    Um beijo grande e um abraço apertado, @pequenatiss.

    ResponderExcluir
  10. aii, que fofurinha!

    tomara que continuem eternizando esse momento.

    beijos

    Lívia
    letrinhasdispersas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Gostei muito da história, de verdade.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  12. O Blog da Michele mudou de nome e caminho. Com pseudônimo agora:

    Michele Santti
    http://michelesantti.blogspot.com/

    Igualmente o Twitter
    @MicheleSantti

    FaceBook
    facebook.com/michele.santti

    e E-mail
    michelesantti@gmail.com

    ResponderExcluir
  13. Awwwwwwwwwwwwwwwwm, que saudades que eu tava daqui *-* e quando consigo aparecer ainda me deparo com essa história linda que não consegui parar de ler até chegar ao final, me encantei completamente por ela. Beijo :* Laura.

    ResponderExcluir
  14. Own, fico muito feliz em saber dessa história linda, e em como você conseguiu passar, através do texto, o quão fofo e grandioso é o amor que Ele e Ela mantêm entre si.
    Uma coisa que não sabia: Ela é apaixonada por narizes! Achei que eu fosse a única (doentinha) que gostasse de narizes. Quando comento com alguém, perguntam se também curto pés, quanta grosseria, veja só, rs.

    Enfim, gostaria de desejar a Ele e Ela a felicidade mais linda do mundo, amor sempre e libido também, rs.

    Grande beijo, Inercya. <3

    ResponderExcluir
  15. Que história bonita! Gostei também do fato de não se citar nomes, e sim chamar "Ele" e "Ela". Adorei!

    Um beijo (:

    ResponderExcluir
  16. Laurinha, linda, eu aqui dando todo meu apoio pra "Ele e ela", que é realmente um um conto daqueles, de prender seus olhos e sua mente na telinha do pc!

    Depois que você mudou o visual do blog é a primeira vez que apareço aqui... então vale dizer que adorei! Você tem sempre um bom gosto!

    Beijos, fica com Deus!

    ResponderExcluir

Me incentive um pouco mais.