19 de novembro de 2010

Escrevo histórias com o sangue da minha alma.

Rasgo a pele que se faz sangrar
E pingo as gotas vermelhas num papel branco
Fazendo desenhos (in) significantes

Substituo minha tinta antiga pelo sangue
Pinto quadros reais e surreais
Faço formas disformes e desiguais

Brinco com o tom da cor
Vermelho-sangue vermelho-vinho
Vermelho

Inebrio-me com o odor
Exalado pelo sangue
Que em gotas pingou
Na minha alma
E assim se lubrificou.





Mais uma da série "Insônia". Certos casos, como esse, nem entendo o que eu mesma escrevi.
Sei lá,
deve vir de algum lugar sombrio.
O título é meio a parte. Espero que gostem disso aí. :P

24 comentários:

  1. Que intenso hein!

    Li com os olhos arregalados. Fiquei impresionada com sua intensidade ao escrever um post!

    bjinhos


    Nina

    ResponderExcluir
  2. Nossa, que intenso, mas gostei !
    Parabéns pelo blog, bjs flor.

    ResponderExcluir
  3. sombrio talvez, intenso com certeza. gostei muito :* Laura.

    ResponderExcluir
  4. Abstrato e forte. Existe uma intensidade pouco perceptível em algumas sentenças e isso assusta quem não tem habilidade de enxergar vários caminhos.

    Seguindo.

    ResponderExcluir
  5. Nossa,amei o texto.

    Intensidade...sangue...
    Amei

    Visita o meu blog?
    RIMAS DO PRETO

    Bjos

    ResponderExcluir
  6. amei. Todas palavras bem colocadas.
    http://fashionistasbr.com/

    ResponderExcluir
  7. Nossa, que post mais perfeito. Que palavras, que imagem, que conjunto de idéias mais bem colocadas. Nem sei explicar o que sentir lendo isso. Parabéns, belo post Laura V. *-*
    Adorei seu blog, e já te sigo ' rs
    Te faço em convite p/ passar no meu & se gostar segue também. Desde já, agradeço.
    Bom domingo.
    Bj :*
    http://www.cecisouza.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Mulher de Deeeus!!!
    A imagem me deixou até com medooo!!!
    rsrsrsrs
    Gostei desse seu jeito meio "intenso" de ser!!!

    ResponderExcluir
  9. Nossa, bastante forte!! Parabens, eu amo seus textos, todos eles sao otimos. Ate um tao diferente é profundo. Bjao querida, continue assim. =*

    ResponderExcluir
  10. Mórbidez mode on. Me voltou pra segunda geração do romantismo. Mas você foi mais profunda..

    ResponderExcluir
  11. Bem forte! Gostei bastante e do título também.
    O título lembrou-me de uma parte de uma música do nightwish : "Todas as minhas canções só podem ser compostas da maior das dores.
    Cada verso só pode nascer do maior dos desejos."
    É como se a dor, o 'sangue da alma' nos inspirasse a escrever.
    Beijo :*

    ResponderExcluir
  12. Nossa, forte e impactante, rs
    mas com sempre adorei,
    pq sou sua fã, adoro o que escreves!


    beijinhos amiguinha de orkut. hehe

    ResponderExcluir
  13. Bastante forte, o texto e a imagem.
    Como algumas pessoas disseram nos comentários: Intenso, resume bem.

    Nas minhas noites insones fico assistindo séries na TV. Mas escrever não seria nada mal...



    Beijo, Laura!

    P.S.: E quando você começa um novo conto?

    ResponderExcluir
  14. Obrigada pela visita flor, hehe !
    Post novo lá, beijinhos.

    ResponderExcluir
  15. Muitas vezes, nossa alma sangra para criar... Muitas vezes, nossa alma cria, para parar de sangrar... Muitas vezes escrevemos pedidos de socorro explícitos em versos, porque estão cortando nossa alma... Muitas vezes escrevemos cartas suicidas implícitas em versos, porque somos nós mesmos que nos cortamos... E enquanto isso, nossos leitores assistem, hipnotizados! Muitos deles, porque vivem o mesmo, porque sangram o mesmo, e estão enxergando em nós uma continuidade, um significado... Uma resposta!
    Um beijo carinhoso
    Lello

    ResponderExcluir
  16. Perdoe-me pela comprima ausência... Vou ler os perdidos.

    Amei a maneira que você desenhou os sentimentos. Ficou intenso, muito forte.

    ResponderExcluir

Me incentive um pouco mais.