15 de agosto de 2010

Palavras sãs (?)

Olho para trás e percebo o quanto eu não fiz nesses anos todos. Deixei de lado coisas importantes e fui à busca de aventuras. Minha vida se resumia em uma só coisa: libertação. Não pensei de outra forma. Basicamente tracei um caminho sem volta. Assim eu vivia; assim eu queria viver. Eu achava, às vezes, que estava sendo controlada por algo. Algo que me deixava covarde. Nunca consegui me libertar desse controle. Até parece contraditório: tenho libertação de tudo, menos do próprio controle. É engano meu, ou não. Sinto-me cada vez mais inútil nessa terra de infortúnios. Mas quem gostaria de ser útil numa terra assim? Mesmo assim, não sei. Não sei o que faço aqui. Sou completamente uma pessoa sem respostas. Há perguntas em minha vida, há sim. Mas o que faltam são respostas. Onde as achar? Isso já se torna uma pergunta, portanto, já é fácil de imaginar o que seja. Mas esses meus pensamentos me tem deixado louca. Sou uma louca desafortunada. Vivo da miséria de um país desgastado. Vivo da miséria dos miseráveis. Vivo do pão que o diabo amassou. Vivo do estrago, do vício, da inconseqüência, do desalento, do mistério, do desamor. Morro no cais, no porto, na hora de dormir. Morro no chão da estrada, na quinta rua. Morro no céu. No infinito.



Micro-conto, na verdade. Coisas que me vêm na cama na hora de dormir. Esses pensamentos não são meus. É apenas uma personagem que criei das profundezas. Que fique claro. hehe

14 comentários:

  1. Morre. Mas vê e é vida em tudo quanto é lugar e palavra, não é mesmo? Tantos pensamentos, Laura, que li mais de uma vez o texto para fixar tudo direitinho na mente. Adorei, adorei meeesmo. Profundo, confuso, como um pensamento interior. Tenho adorado essas 'coisas' que te vem na hora de dormir, rs.
    Beijos enormes <3

    ResponderExcluir
  2. no meu caso, o que tem me faltado são perguntas .-.

    beijas, moça :*

    ResponderExcluir
  3. Há, xará ! IUSDHUISAHD
    nós somos duas meninas com o mesmo nome e, me atrevo ainda a dizer, com o mesmo problema: perguntas . perguntas que se vão e perguntas que vem, perguntas que não acabam jamais, e que ainda não tem respostas .
    se, em algum momento da sua vida, você conseguir descobrir como encontrar a solução para este problema que me atordoa, compartilhe (:

    ResponderExcluir
  4. 'Vivo do estrago, do vício, da inconseqüência, do desalento, do mistério, do desamor.' - também vivo uma coisa assim...
    e o que resta pra quem vive assim, além de escrever, escrever, escrever? =]
    me reconheci no teu blog, guria, muito lindo!
    beeijo

    ResponderExcluir
  5. quem sabe na proxima esquina, ou na ultima, vc nao descobre pq tá aqui???
    :)
    adorei o texto...
    :)

    http://zonzobulando.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Laurinha, muito bom texto e é verdade, sempre tenho esses pensamentos meio confusos e estranhos, mas que é a pura verdade.
    xD

    ResponderExcluir
  7. ahh ta!!
    ok emtaoo..
    você escreve muito bem de qualquer forma, seja ou não sobre você!!!
    :D
    :*

    ResponderExcluir
  8. Adorei a profundidade dos pensamentos,,da personagem. Mostra alguém que se conhece muito mesmo com suas dúvidas. Obrigada por todo carinho com o meu blog. beijinhos.
    #dica: mudaria quinta rua para quinta avenida. Soaria melhor nesse texto.

    ResponderExcluir
  9. Essas garotas... lembrei de mim em determinado momento da minha vida. muito forte e a clareza dos sentimentos dela me espantou. Obrigada querida o carinho. meu blog pode virar livro, vota em mim? link da votação no meu blog. beijos

    ResponderExcluir
  10. é sempre melhor fazer o que sentimos vontade e que não irá prejudicar ninguém. assim não nos arrependemos depois.

    ResponderExcluir
  11. ah . tá, então descobri uma diferença: eu sou confusa e voce nao . '-' mimimi
    UADSHIUASHDIUASHDU

    sempre bem-vinda (:

    ResponderExcluir
  12. É meu sim, o outro blog. haha. beijos

    ResponderExcluir
  13. Eu costumava ser assim sabe? Na verdade, ainda sou. Busco constantemente aventuras e me frustro na maioria das vezes :/

    ResponderExcluir
  14. Hey, valeu pelo comentário :)
    Então, eu acho bom lembrar de vez em quando que os escritores não são necessariamente os narradores das histórias, porque muita gente confunde.
    Quanto ao seu texto, me lembrou Rain Dogs, do Tom Waits. Não sei direito o porque, mas me lembrou.
    De qualquer forma, você escreve muito bem :)

    ResponderExcluir

Me incentive um pouco mais.