30 de julho de 2010

Vinho e vi(zi)nho.


Eu estava imersa em meus pensamentos vagos no sofá da sala quando ouço a campainha tocando. “Quem será a essa hora?”, pensei. Não estava esperando ninguém e nem poderia ser algum vizinho, pois eu era uma nova moradora naquele prédio. Também não poderia ser o porteiro, ele me avisaria.
A campainha tocou novamente e eu, um pouco impaciente, me levanto para atender o ser que me tirou do meu momento reflexivo. Abro a porta e me deparo com um homem de olhos claros, moreno, de pele branquíssima, alto e com uma aparência bastante elegante.
- Olá, desculpe-me atrapalhá-la. Sou seu novo vizinho e me chamo Marcus. – Que voz maravilhosa era aquela?
- Ah, oi, Marcus. Sofia, prazer. – Eu, tímida, diante daquele homem tão bonito. – Na verdade, Marcus, também sou nova por aqui.
- Olha só, já tenho algo em comum com a primeira pessoa que dialogo por aqui.
Notei que ele estava com uma garrafa de vinho, ou algo do tipo, em suas mãos e o convidei para entrar.
- Não estou atrapalhando a senhooo - hesitou um momento - senhora ou senhorita?
- Senhorita. Mas pode me chamar de você, não gosto muito de formalidades.
- Ótimo, também não.
Sentamo-nos no sofá da sala, onde eu estava antes de ser “incomodada”. Tinha trazido duas taças e ele as encheu. Parecia um encontro casual, em que duas pessoas se juntam para conversar, beber e... Não! Mas eu estava tão vidrada na conversa, tão compenetrada, que parecia que nos conhecíamos há tempos. Confesso que houve afinidade entre nós dois logo de cara. Além de sermos novos no prédio, muitas coisas em comum surgiram na conversa como: gêneros musicais, lugares para freqüentar, bebidas...
Passamos praticamente a tarde toda conversando e quando fomos notar, já havia anoitecido há alguns minutos.
- Preciso ir, já atrapalhei demais você.
- Imagina, Marcus! Ter alguém para conversar nesse antro de solidão é sempre bom. Mas foi um prazer conversar com você.
- O prazer é todo meu. – Ele falou essa frase com o cantinho da boca, fazendo um biquinho super charmoso. Quando me aproximei para dá-lhe um beijo na bochecha em forma de agradecimento, ele virou o rosto (propositalmente) e acabei o beijando na boca.
Seu beijo era maravilhoso, o toque, a boca, a língua. O modo como beijava era sutil, primoroso e excitante, claro. Ele me envolveu em seus braços tão delicadamente, que quase suspirei. Não estávamos bêbados, apesar de termos bebido a garrafa toda. Sóbrios, aproveitamos aquele pequeno momento.
Ele foi embora e me deixou ali, delirando. Eu nunca imaginaria que um homem daquele podia surgir em minha vida (exageros à parte, admito). Foi tudo tão de repente, e mesmo assim sendo, não me importei com a rapidez como tudo isso aconteceu. Foi bom, não posso negar. Eu me arrependeria se tivesse recusado. Mas tive uma impressão que já o conhecia de algum lugar...
Moramos lado a lado e sempre nos encontramos nos corredores, no elevador e claro, nos apartamentos. Fiz muito bem em me mudar para esse prédio, onde encontrei alguém para ficar comigo nas noites frias de Domingo, bebendo um bom vinho.

11 comentários:

  1. Adoro historinhas que podem acontecer no cotidiano...
    Seria otimo vs chegar em um lugar novo e encontrar uma pessoa tao legal, mas isso pode acontecer...
    gostei do texto, bem espontaneo.. :}

    ResponderExcluir
  2. Que história super bacana hein.. é verdadeira ou vc que inventou?? iandependete do q for.. ficou otima, e beme scrita. Bjs

    ResponderExcluir
  3. Adorei o modo como você usou o título. Ficou muito divertido e apropriado com a história.
    Parabéns querida, você sempre escrevendo explendidamente bem ^^

    ResponderExcluir
  4. como sempre seus textos são maravilhosos :)

    ResponderExcluir
  5. A vida nos reserva muitas boas surpresas!
    Bjoo!!

    ResponderExcluir
  6. sempre me imagino nas suas historias mtoo boas mil bjinhos linda

    ResponderExcluir
  7. Laura,texto excelente! De verdade!!!
    TOu seguindo seu blog agora,viu?
    beijo

    ResponderExcluir
  8. NOOOOOOOOSSA! Isso não acontece cmg! Afz. --' HSUHAIUSHIUAHISUAHISHAUI Sortuda! *.*

    ResponderExcluir
  9. cotidiano é sempre imprevisível e (as vezes) um tanto engraçado...gostei do seu txt, de verdade...

    http://guilg7.blogspot.com/

    vlw...

    ResponderExcluir
  10. NOSSAAAAAAA, QUERO UM VIZINHO DESSE *--* haha, adorei o texto *-*
    http://www.arrobascoloridas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Adorei *-* A história é muito simples, mas a forma como vc descreve os fatos faz TODA a diferença! Não tem como não imaginar a cena na frente e invejar a personagem!

    ResponderExcluir

Me incentive um pouco mais.