19 de janeiro de 2010

Dias frios.

Num dia, de repente, a gente acorda pra vida. Não exatamente isso, mas acorda, porque tem que acordar, afinal, são três horas da tarde e você não deve ficar até essa hora, pois não é saudável, e também porque você perdeu praticamente o dia todo. Certo, você já acorda sem sono, porque dormiu dez horas, mas quando realmente acorda, abre a janela, olha pro céu, vê aquela imensidão cinza, procura por algo azul e é totalmente inútil, você pensa mais uma vez: Deveria ou não deveria ter saído da cama?

Dias frios nos remetem a tempos passados. Nos fazem refletir, pensar bastante e dá aquela nostalgia. Dá também vontade de escrever. Não sei porque, não sei se é só comigo, mas quando eu olho pro céu, sinto o friozinho, me dá aquela vontade de escrever. Escrever coisas sem sentido, escrever sobre o dia, o tempo, o que tá acontecendo...Isso é tão estranho. Parece que tudo no mundo é estranho. Você não tem vontade de fazer nada, não tem vontade de sair de casa... Não há coragem em dias assim.

3 comentários:

  1. então escreva, gata! escreva o que der na telha, psicografe!

    ResponderExcluir
  2. Eu amo escrever em dias frios e chuvosos, tem vários contos que comecei assim... "Era uma tarde cinza" "O céu se vestia de cinza"... coisas assim. Escrever em dias cinzas me acalenta é como uma conversa no espelho.

    ResponderExcluir

Me incentive um pouco mais.